Paraíba

Servidores de Campina que recebem acima do mínimo mantêm indicativo de greve para próxima terça, 31

Os servidores do município de Campina Grande que recebem acima do mínimo decidiram em assembleia realizada na manhã desta quarta-feira, 25, na Câmara Municipal (CMCG), manter o indicativo de greve. Com a decisão, mais de 5 mil efetivos, de todas as categorias, poderão parar as atividades por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira, 31. Eles se reúnem pela terceira vez consecutiva nesta quinta-feira, 26, em mais uma assembleia extraordinária, novamente na CMCG, a partir das 9h.

Conforme o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab), Giovanni Freire, não houve nenhuma resposta sobre a promessa de negociação com o prefeito Romero Rodrigues para o veto à emenda aprovada pela bancada governista, que determinou que o reajuste de 2% aprovado por ele em maio não incide sobre nenhuma verba indenizatória, tais como quinquênio, terço de férias e insalubridade. “Alguns vereadores da bancada do governo se comprometeram em intervir junto ao prefeito Romero, mas não apareceu nenhum para dar satisfação aos servidores e por mais um dia o serviço público está paralisado e amanhã mais uma vez os servidores estarão aqui”, reforçou.

Giovanni lembrou que em mais de 30 anos de data base no município, nunca um reajuste foi concedido da forma como está sendo agora. “A explicação que eu ouvi de alguns vereadores é que o Tribunal de Contas orientou que o reajuste fosse desta forma, talvez seja porque o limite de gastos da Prefeitura com folha de pessoal esteja acima ou próximo do permitido, mas isto não é culpa dos servidores efetivos e sim, devido ao número exorbitante de contratados e comissionados, além das gratificações, que nós sabemos que são volumosas em Campina Grande”, completou.

Após a assembleia houve protesto no portão da garagem da CMCG. “Isto é reflexo da insatisfação dos servidores com o impasse que persiste e caso o prefeito não vete a emenda, o início da greve está confirmado para o próximo dia 31”, frisou  o vice-presidente.

Relembre – O projeto de lei do prefeito Romero Rodrigues que concedeu o reajuste de 2% no salário dos servidores que recebem acima do mínimo em Campina Grande, foi aprovado no dia 29 de maio pela CMCG. No dia 26 de junho, a bancada do governo na Câmara aprovou uma emenda de autoria do vereador Alexandre do Sindicato, que, conforme já divulgado pelo Sintab, determina que o aumento não incide sobre as verbas indenizatórias já mencionadas. Desde então os servidores têm protestado contra o reajuste ínfimo e contra a emenda e, além da luta política, o Sintab ingressará com ação judicial para barrar o projeto.

Da redação com Assessoria Sintab

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo