Paraíba

Servidores da saúde de Esperança protestam contra condições de trabalho precárias Grevistas da saúde de CG apoiam movimento

Os servidores da saúde do município de Esperança realizaram assembleia seguida de caminhada na manhã desta quarta-feira, 23, partindo da Câmara Municipal até a Matriz, para protestar contra os inúmeros problemas que afetam a categoria, em decorrência do descaso da Prefeitura Municipal. A atividade foi coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab).

Também participaram da ação grevistas da saúde de Campina Grande, que apoiaram os colegas de Esperança na distribuição de panfletos com os principais motivos que desencadearam o movimento. A programação de greve em Campina, que continuaria nesta quinta-feira, 24, com panfletagem no distrito de São José da Mata, foi cancelada por conta dos constantes protestos nas rodovias que cortam o município e pela falta de combustível nos postos de gasolina, que impediu a empresa contratada pelo Sintab, de fornecer o ônibus para o deslocamento dos servidores.  A nova data será definida até a sexta-feira, 25.

Durante a caminhada, o diretor do Sintab em Esperança, Alexsandro de Almeida, lembrou a pauta da saúde. “Há insuficiência de medicamentos; escassez de material de trabalho; número reduzido de profissionais; pouquíssimo material de limpeza; falta um Plano de Cargos, Carreira e Remuneração e os atrasos no pagamento são constantes. Por tudo isso os servidores da saúde de Esperança pedem socorro, para que verdadeiramente as condições de trabalho possam melhorar”, enfatizou.

O vice-presidente do sindicato, Giovanni Freire, também comentou o caos da saúde na cidade. “Toda esta situação causa uma precarização na qualidade dos serviço, por isso estamos aqui na rua, pedindo o apoio da população para que estes serviços sejam garantidos, para que o prefeito conceda também o reajuste da categoria, porque há 12 anos estes trabalhadores não recebem reajuste salarial”, frisou.

Nova assembleia será marcada em breve para definir quais os próximos passos na luta por condições dignas de trabalho. O Sintab reforça que tanto a instituição quanto os trabalhadores continuam abertos às negociações com o prefeito Nobinho Almeida, que ainda não recebeu a categoria para o diálogo.

 

Da redação com Assessoria Sintab

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo