Paraíba

Prefeito paraibano não comprova saúde mental e MPPB pede seu afastamento

Foto: Reprodução

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) solicitou que o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) determine uma perícia médica e, com base nela, dê andamento ao afastamento definitivo do prefeito de São João do Cariri, Cosme Gonçalves Farias, que foi acusado ter Alzheimer e o município estaria sendo administrado pela sua família. A medida foi tomada com base em uma denúncia anônima.

O prefeito foi ouvido na Promotoria da cidade, no dia 12 de julho, mas na ocasião, teria apresentado dificuldade para responder perguntas simples sobre o cotidiano e teria se atrapalhado em relação ao número de filhos. Ele reconheceu que possui problemas de memória, mas alegou que apenas estava abalado com a morte da mãe que ocorreu dois meses antes.

O promotor José Bezerra Diniz, após ouvir vereadores, populares e reunir documentos, deu um prazo para que o prefeito passasse por um acompanhamento médico e que o profissional encaminhasse ao Ministério Público uma declaração sobre a saúde do prefeito, mas os resultados dos exames não lhe convenceram da sanidade mental do gestor.

José Bezerra recomendou, em setembro, que o prefeito se afastasse do cargo para tratamento médico e que a família solicitasse sua interdição. Como as medidas não foram tomadas, o representante do Ministério Público entrou com uma ação de interdição. O extrato foi publicado no Diário Oficial Eletrônico do MP no início deste mês.

A família do gestor afirma que não existe processo porque nenhuma intimação chegou até eles. E segundo o advogado do prefeito, Maviael Fernandes, a esposa dele não viu necessidade de solicitar o afastamento do marido porque os exames não apontaram doença que comprometa a capacidade mental de Cosme. O gestor continua trabalhando normalmente e há menos de um mês teve as contas do município aprovadas pelo TCE, segundo o advogado.

Paraiba todo dia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo