Sem categoria

Morre taxista que ateou fogo em casa da família na Grande JP

 

 

Morreu, na madrugada desta terça-feira (6), o taxista de 39 anos responsável por provocar um incêndio numa casa em Cruz do Espírito Santo, na Grande João Pessoa. O caso aconteceu nessa segunda (5). A morte do taxista foi confirmada por boletim médico do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

No incêndio, mais duas pessoas ficaram feridas. Um vizinho que tentou impedir o taxista de atear fogo na casa e acabou esfaqueado já recebeu alta. O genro da esposa do taxista, por outro lado, permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em estado grave.

No momento do crime, nove pessoas estavam na casa; sete conseguiram fugir sem ferimentos. Segundo duas pessoas que escaparam da residência, o taxista estaria insatisfeito porque a esposa dele conseguiu um emprego em Recife e só podia estar em casa a cada 15 dias.

A esposa disse que está casada com ele há três anos e o marido nunca a agrediu ou apresentou comportamento suspeito. Dessa vez, ele surtou e irritado por não estar junto com a mulher em Recife, acendeu as bocas do fogão e jogou gasolina na residência.

 

Morreu, na madrugada desta terça-feira (6), o taxista de 39 anos responsável por provocar um incêndio numa casa em Cruz do Espírito Santo, na Grande João Pessoa. O caso aconteceu nessa segunda (5). A morte do taxista foi confirmada por boletim médico do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

No incêndio, mais duas pessoas ficaram feridas. Um vizinho que tentou impedir o taxista de atear fogo na casa e acabou esfaqueado já recebeu alta. O genro da esposa do taxista, por outro lado, permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em estado grave.

No momento do crime, nove pessoas estavam na casa; sete conseguiram fugir sem ferimentos. Segundo duas pessoas que escaparam da residência, o taxista estaria insatisfeito porque a esposa dele conseguiu um emprego em Recife e só podia estar em casa a cada 15 dias.

A esposa disse que está casada com ele há três anos e o marido nunca a agrediu ou apresentou comportamento suspeito. Dessa vez, ele surtou e irritado por não estar junto com a mulher em Recife, acendeu as bocas do fogão e jogou gasolina na residência.

PORTALCORREIO

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo