ParaíbaPolítica

Márcio Melo Rodrigues pede ao Governo melhores salários para os policiais civis e militares

O vereador Márcio Melo Rodrigues afirmou hoje que o Governo do Estado precisa beneficiar a Polícia Civil e a Polícia Militar com melhores condições de trabalho e melhores salários. Em consequência da política praticada pelo Governo do Estado nos últimos anos a Polícia da Paraíba tem o pior salário do país.

Ele destaca a luta da Associação dos Policiais Civis da Paraíba (Aspol) que cobra do governador João Azevedo apoio para os policiais civis da Paraíba com a melhoria salarial, bem como para os integrantes da Polícia Militar.

Assembleia extraordinária

O parlamentar ressalta que a Aspol realizará assembleia extraordinária objetivando discutir os salários e as condições de trabalho da categoria. As propostas serão apresentadas ao governador João Azevedo e ao secretário de Segurança Pública.

Estudo realizado em 2016 registra que os salários dos policiais civis da Paraíba são os piores da categoria no país, o que na opinião de Márcio Melo Rodrigues é algo inadmissível para a responsabilidade que esses profissionais desenvolvem ao colocar a vida em risco em prol da sociedade.

Pleitos

Os policiais pleiteiam a recomposição do salário base para nível superior; pagamento por subsídio, ao invés de gratificações, tendo em vista que ao se aposentar ou se afastar do trabalho o policial perde mais de 40%; carreira única dos policiais, com aperfeiçoamento através de cursos para ascensão na carreira; equiparação do risco de vida; Plano de Cargo Carreira e Remuneração, entre outros.

O vereador Marcio Melo tem protestado contra a falta de apoio do Governo do Estado aos policiais que expõem a vida na luta contra o crime, e nem sempre contam com os equipamentos ideais e necessários nessa batalha diária.

Falta de equipamentos

O parlamentar critica, por exemplo, a falta de um equipamento caríssimo que foi adquirido pelo Governo anterior para fazer frente à bandidagem, que é o helicóptero comprado a peso e ouro e quando houve a necessidade de sua utilização, sequer foi usado no combate ao crime.

Campina Grande precisou do helicóptero para apoio ao trabalho de policiais numa farmácia em pleno centro da cidade, quando inclusive, foram feitos reféns, mas o equipamento esteve ausente, num descaso contra a vida humana.

Da redação com assessoria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo