Paraíba

Chove forte em cidades do interior da Paraíba

(Foto: Reprodução/Facebook)

Depois dos festejos carnavalescos que tradicionalmente levam muitas pessoas às ruas, as vias das cidades foram tomadas pelas águas, vindas das chuvas que atingiram muitas cidades da Paraíba. Somando a quantidade registrada, nessa quinta-feira (15) e nesta sexta (16), nas dez cidades com mais precipitações nesse período, 752,2 milímetros de chuvas atingiram a Paraíba. Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa).

A cidade de Guarabira, no Brejo paraibano, a 98 km de João Pessoa, foi a que registrou a maior quantidade de chuvas: 96,1 mm. Em seguida vem Capim, na Zona da Mata do estado, com 85 mm. Já Pilar registrou 80 mm de chuva e ficou com a terceira posição.

Sertão registra chuvas

Nesses dois dias, choveu 1042,8 mm em 23 cidades do Sertão. O município de Emas registrou chuvas que atingiram 65,8 mm, sendo a décima cidade com mais precipitações nesse período.

Em Campina Grande, chuva foi o dobro do esperado

Na cidade de Campina Grande, no Agreste paraibano, as chuvas alagaram muitas ruas nos últimos dias. Alguns moradores disseram que o nível da água chegava a 50 centímetros dentro das casas. Segundo a meteorologista da Aesa, Marly Bandeira, já choveu mais do que dobro do esperado.

“Aqui em Campina Grande já choveu mais do que era esperado para fevereiro. E ainda estamos na metade de fevereiro. A previsão ainda é de mais chuvas nos próximos dias na cidade”, comentou.

Somando a quantidade de chuvas dessa quinta-feira e desta sexta, choveu 17,6 mm na cidade, segundo dados da Aesa.

Volumes dos açudes aumentam

Um dos maiores açudes do estado, o reservatório Epitácio Pessoa, mais conhecido como açude de Boqueirão, vem aumentando seu volume sistematicamente, muito em virtude a quantidade de chuvas que estão sendo registradas no Agreste do estado.

No momento, o manancial já tem 10,4 % de seu volume total. De acordo com o presidente da Aesa, João Fernandes, a tendência é mais açudes aumentarem seus volumes de água.

Por Pedro Alves

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo