Política

Campina Grande terá 1700 novos postos de trabalho no final de ano

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, anunciou, nesta quinta-feira, 19, a abertura de mais de 1.700 postos de trabalhos em Campina Grande, com contratações imediatas, neste final de ano e começo de 2018, tanto na iniciativa privada como no serviço público municipal.

Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Dinamérica, Porte 3, que será inaugurada no próximo dia 21, estão sendo contratados 280 prestadores de serviço, dentre médicos clínicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, assistentes sociais em saúde, farmacêuticos, técnicos em radiologia e auxiliares de farmácia, além de cargos de almoxarife, manutenção, faturista, condutor socorrista, auxiliar de serviços gerais, recepcionista, vigilante e maqueiro.

Já na iniciativa privada, Romero Rodrigues comemorou o início do processo de contratação de mil novos funcionários por parte da unidade local da Alpargatas.

Só agora em dezembro estarão sendo abertas 461 vagas de empregos diretos, todos com carteira assinada.

O Grupo Walmart inaugura nas próximas semanas um supermercado na avenida Almirante Barroso, onde vão passar a trabalhar 200 pessoas.

Por sua vez, o SINE Municipal encerra nesta sexta-feira (10), as inscrições para o preenchimento de 250 vagas de atendentes, 10 de supervisores e uma vaga para coordenador, oferecidas pela empresa Orbital.

“A economia começa a mostrar sinais de melhora. E como estamos fazendo desde 2013, continuamos virando a página e iniciando mais um novo processo de desenvolvimento com geração de emprego e renda”, pontuou o gestor.

Licença e ajustes

Romero possui um período de licença de 14 dias programado para o início de dezembro, cujo tempo será reservado à família.

O prefeito frisou que irá tirar férias sem remuneração, mesmo já contando com um corte de 40% do próprio salário, medida tomada através de decreto desde o final de 2015.

No que diz respeito a ajustes na máquina pública, o prefeito de Campina Grande afirmou que continuará fazendo caso haja necessidade.

“Vou retornar da licença na segunda semana de dezembro e se for preciso nós vamos estar fazendo ajustes. Eu não vou estar fazendo política. Eu vou estar fazendo gestão. Em função dessa crise econômica que vivemos, nós vamos fazer ajustes, cortando gastos com diárias, passagens áreas, prestador de serviço”, pontuou Romero.

MaisPB

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo