DestaqueNotícias

Assembleia com servidores da Saúde avalia negociações frustradas e pautas não cumpridas

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab) realizou na manhã desta quinta-feira, 06, no Cine Teatro São José, mais uma assembleia com os servidores da saúde de Campina Grande.

Foram apresentados na ocasião, os pontos cobrados na última reunião entre o Sintab e a secretária de Saúde Luzia Pinto, realizada no dia 28 de junho. Embora algumas demandas tenham sido garantidas, não houve até o momento, a efetivação de nenhum dos direitos reivindicados.

Uma nova assembleia ficou agendada para o dia 13 de julho e caso até lá a pauta não tenha sido contemplada em pelo menos algum ponto, a categoria, cansada de tantas negociações frustradas, irá deliberar pela mobilização de rua, logo após o encontro.

A situação precária da saúde em Campina tem sido reforçada pelos próprios servidores, caso do agente comunitário de saúde (ACS) Joaquim de Souza Dias. Segundo ele, os serviços não funcionam como deveriam, faltam medicamentos e a marcação de exames está sempre deficitária. “Esse governo está tomando nosso fôlego. Em setembro vai fazer um ano da promessa de novos Equipamentos de Proteção Individual, ou seja, os EPIs. Estamos cansados de sermos enrolados”, completou.

A insatisfação foi reforçada pela também ACS Carla Adriana Soares. “Estamos correndo risco de não receber nem o PASEP, mas o prefeito diz que está tudo bem, a nossa situação não muda. Precisamos lutar ainda mais”, disse.

O coordenador de comunicação do Sintab, Napoleão Maracajá, destacou que não faltam recursos na Prefeitura. “A Prefeitura está gastando 70 milhões do precatório, doou R$ 3 milhões à Aliança para o São João e não houve prestação de contas desse dinheiro, só se fala de crise quando é pra garantir direitos dos trabalhadores e da população”, frisou.

Relembre os pontos em negociação:

  • Encaminhamento para a Procuradoria Municipal, até esta sexta-feira, 07, dos nomes que deverão compor a Comissão de Avaliação do PCCR da Saúde;
  • Rateio de 60% dos recursos do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB), para quando faltar um dos componentes da equipe;
  • Ainda sobre o PMAQ, pagamento em dia para o próximo ciclo;
  • Aquisição de fardamento para os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes Comunitários de Endemias (ACE), assim como jaleco para enfermeiros, médicos e odontólogos, e demais insumos e EPIs defasados.

Paraíba em Destaque com Assessoria

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo