Paraíba

Açude de Boqueirão perde 1,43% do volume em um mês, mas Dnocs garante segurança hídrica

(Foto: Artur Lira/G1/Arquivo)

Nos últimos 30 dias, o açude Epitácio Pessoa, conhecido como açude de Boqueirão teve uma perda de 1,43% do volume de água. Desde o dia 4 de abril, o reservatório não está mais recebendo águas da transposição do Rio São Francisco e deve ficar sem bombeamento do ‘Velho Chico’ até o fim de agosto deste ano. Apesar disso, o Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs) da Paraíba garante que a situação de segurança hídrica está garantida.

Segundo os dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), essa queda no volume começou no dia 19 de maio deste ano, quando o açude estava com 35,45% do volume total que corresponde a cerca de 145,9 milhões de metros cúbicos de água. Já nesta segunda-feira (18) o volume está em 34,02% que equivale a 140 milhões de m³ de água.

O coordenador do Dnocs na Paraíba, Alberto Batista, explica que mesmo com a suspensão do bombeamento das águas da transposição, o açude de Boqueirão já tinha volume mais que suficiente para garantir o abastecimento da população até que a operação fosse retomada. A suspensão no bombeamento aconteceu por causa da necessidade de obras nos açudes de Poções, em Monteiro, e no açude de Camalaú, ambos no Cariri paraibano.

Alberto Batista também destacou que a situação de segurança hídrica durante essa obra ficou ainda melhor depois das recargas garantidas pelas chuvas que ocorreram na região do Cariri nos últimos meses. Em 4 de abril deste ano, quando o bombeamento foi parado, o volume do manancial era de 17,33% e aumentou para 35,67% até o dia 6 de maio, apenas com recargas naturais.

Atualmente, a água do açude de Boqueirão está sendo usada para abastecer a população de Campina Grande e de outras 18 cidades do Agreste paraibano de forma direta. Além disso, a comporta do açude foi aberta e está liberando 0,4m³ de água por segundo no leito do Rio Paraíba, por onde a água segue até a barragem de Acauã para garantir abastecimento de mais cidades. Antes da paralisação do bombeamento a vazão era de 0,8m³.

Gráfico da Aesa mostra mudança no volume de Boqueirão entre 4 de abril e 18 de junho de 2018 (Foto: Reprodução/Aesa-PB)Gráfico da Aesa mostra mudança no volume de Boqueirão entre 4 de abril e 18 de junho de 2018 (Foto: Reprodução/Aesa-PB)

Gráfico da Aesa mostra mudança no volume de Boqueirão entre 4 de abril e 18 de junho de 2018 (Foto: Reprodução/Aesa-PB)

Por G1 PB

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo