O procurador-geral do Ministério Público, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e o promotor da infância e juventude, Alley Escorel, visitaram o Sistema Correio na manhã desta segunda-feira (18). A visita teve como objetivo firmar uma parceria entre a instituição e o Sistema na divulgação da campanha ‘Prevenir é proteger’, que visa conscientizar a população no combate à venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes.

“O objetivo é pedir o apoio do Sistema na divulgação de um projeto do Ministério Público intitulado ‘Prevenir é proteger’. Nós objetivamos conscientizar os pais, os proprietários de bares e restaurantes da proibição de venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes. Uma legislação de 2015 e que a gente precisa reforçar para trazer a população a conscientização do problema que é o oferecimento, a entrega, a venda de qualquer produto alcoólico a criança e adolescentes. A visita veio como um pedido de apoio para ajudar na divulgação da campanha”, disse o procurador-geral Francisco Seráphico.

Apesar de ter um tom de conscientização, a campanha também atuará com ações de punição para quem desrespeitar a lei.

“Essa campanha de fiscalização, o Ministério Público já faz. Toda semana uma equipe do Ministério Público vai a alguns estabelecimentos. Só que agora a partir desta campanha, a gente quer conscientizar e também eventualmente num segundo momento, praticar eventuais punições”, completou.

A diretora executiva do Sistema Correio, Beatriz Ribeiro, comentou sobre a visita e prometeu abraçar a causa.

“Vamos abraçar com toda força e energia do Sistema Correio e a Fundação Solidariedade também vai se engajar. Vamos mostrar a importância da conscientização para os adolescentes, que o que não é permitido não deve ser realizado. Eles devem ter este cuidado com relação às bebidas alcoólicas, que é uma porta de uma droga que se abre para muitas outras consequências que podem acontecer e a gente tem obrigação como gestor, mãe, ser humano, estar orientando. Porque aquilo que as vezes parece ser normal e é tão errado e a gente tem que ter esta conscientização de mostrar para estes jovens que eles tem um futuro que pode ser construído através do caminho correto e a gente vai abraçar com todas nossas energias. A gente tem uma preocupação com o futuro, demonstrar as coisas corretas, o caminho do bem. A gente precisa levantar a bandeira que algo está errado”, finalizou.

 CORREIODAPARAIBA