Os servidores da Saúde de Campina Grande que estavam em greve não terão os dias paralisados descontados por conta da paralisação.

Nesta segunda-feira (12) o desembargador Romero Marcelo decidiu decretar a ilegalidade da greve dos servidores.

Segundo o procurador do Município, José Mariz, o prefeito não acha necessário fazer o corte de ponto dos servidores que aderiram à greve.

– O prefeito entende que não é preciso lançar falta, porque talvez essas pessoas tenham sido instadas por algumas lideranças – disse.

Mariz explicou que a possibilidade de cortar o ponto está amparada pela decisão judicial.