Campina Grande tem cerca de 12 mil pessoas com problemas de hipertensão e diabetes. Um trabalho contínuo de acompanhamento a esses pacientes é feito pela Rede de Atenção Básica de Saúde e várias atividades são desenvolvidas, a exemplo da ação que aconteceu neste final de semana, com usuários de duas Unidades Básicas de Saúde que fizeram caminhada em uma trilha no município de Areia.

 

Cerca de 40 pessoas participaram da trilha da mata Pau Ferro, na comunidade Chã de Jardim, na entrada da cidade de Areia. Eles percorreram quase 10 quilômetros e conheceram o açude Vaca Brava, que abasteceu Campina Grande antes da construção do açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão.

 

Estes pacientes fazem parte das unidades Inácio Mayer e Jardim Continental, do Distrito Sanitário III. Os usuários do Hiperdia foram acompanhados por uma equipe multidisciplinar da Estratégia de Saúde da Família e do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

 

De acordo com o Coordenador Municipal do Nasf, Valdemiro Júnior, as atividades ajudam no controle das doenças e na manutenção do bem-estar e da saúde dos pacientes. Além dessa ação, outras já foram realizadas, como a hidroginástica, caminhadas e uma visita ao Museu de Arte Popular da Paraíba (MAP) com os usuários da UBS Argemiro de Figueiredo que está marcada para este mês de junho.

 

Campina Grande tem nove equipes do Nasf, que cobrem 70% da população acompanhada pela Estratégia de Saúde da Família. O núcleo tem fisioterapeutas, nutricionistas, educadores físicos, assistentes sociais e psicólogos, atuando como atividade complementar da Atenção Básica, ampliando as atividades desenvolvidas e a atenção em saúde, aumentando o número de soluções de casos de patologias e melhorando a qualidade de vida das pessoas. “Estamos implantando mais cinco equipes para atender completamente toda a população”, disse Júnior.

paraibaemdestaque com codecom