Paraíba mantém redução de mortes por assassinato durante cinco anos consecutivos

4

Fotos:  José Marques/ Secom-PB

A Paraíba fechou 2016 com uma redução de 12% dos assassinatos registrados em seu território, em relação ao ano anterior. Essa é a maior queda nos registros da Secretaria da Segurança e Defesa Social desde 2011 e é resultante do trabalho realizado pelas Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, acumulando cinco anos de redução consecutiva de homicídios no Estado. Os dados foram apresentados, nesta terça-feira (10), na reunião de monitoramento com os gestores da segurança pública, realizada no Palácio da Redenção, com a presença do governador Ricardo Coutinho.

De acordo com os dados, durante 12 meses, foram contabilizados 1322 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte), enquanto que em 2015 foram registradas 1502 ocorrências do tipo.

Nesta primeira reunião de monitoramento da segurança de 2017, o governador Ricardo Coutinho agradeceu o esforço de todos no trabalho desempenhado em 2016 e pediu ainda mais dedicação este ano. “Espero que todos tenham iniciado o ano bem e quero dizer que meu sentimento é de gratidão pelo empenho dos homens e mulheres que fazem a segurança no Estado. Nesta área delicada e multilateral, uma grande vitória é ter determinação, porque com determinação o trabalho acontece. Temos dificuldades, mas com determinação, disciplina, técnica e estratégia estamos superando as adversidades. Sei que não é fácil o trabalho das forças de segurança, por isso deixo meu agradecimento porque tivemos mais um ano com redução no número de homicídios, desta vez, reduzimos 12%. Que neste ano de 2017, possamos melhorar os resultados com muito esforço e trabalho”, ressaltou.

Os números – De acordo com o Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Seds, a redução de assassinatos em números absolutos reflete na diminuição da taxa de CVLI durante esta gestão. O número caiu de 44,3 assassinatos por 100 mil habitantes em 2011 para 33,1 assassinatos por 100 mil habitantes em 2016, o que representa uma queda global de 25,4% entre esses anos.

Ainda segundo o Nace, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que a Paraíba foi o único estado da federação a registrar cinco anos consecutivos de redução de homicídios. Também tiveram redução as tentativas de homicídio, que foram de 1416 casos para 1287     (-9,1%) e os latrocínios que apresentaram uma queda de 31% (48 para 33 casos).

Além da redução em todo o estado, das 21 Áreas Integradas de Segurança Pública previstas na Lei 111/2012 (Lei da Compatibilização de Áreas), 12 tiveram queda no número assassinatos registrados no comparativo 2015/2016: João Pessoa Zona Norte (-67 casos) e João Pessoa Zona Sul (-52 casos), Patos (-34 casos), Alhandra (-16 casos), Bayeux (-16 casos), Mamanguape (-15 casos), Santa Rita (-13 casos), Campina Grande (-13 casos), Monteiro (-9 casos), Itabaiana (-8 casos), Sousa (-3 casos) e Itaporanga (-3 casos). A Aisp de Guarabira registrou empate no comparativo anual de assassinatos.

“Esta é a primeira reunião do ano e vem selar o trabalho feito em 2016. Conseguimos chegar ao quinto ano consecutivo com redução no número de homicídios, resultado que é fruto de uma política pública de segurança implantada no Estado. Vamos avançar ainda mais este ano no programa Paraíba Unida pela Paz. Se adotarmos o sistema de segurança como algo coletivo, os resultados serão positivos. Então agradeço o empenho de todos e vamos continuar avançando”, disse o secretário de Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima.

Redução de mortes de mulheres – Em 2016, as políticas públicas de enfrentamento da violência contra a mulher, juntamente com a prevenção e repressão qualificada à violência de gênero também resultaram numa redução de 14,2% no registro de assassinatos com vítimas do sexo feminino. No ano de 2015, foram contabilizados 113 casos e no ano passado 97. De acordo com a Secretaria da Segurança e da Defesa Social, os homicídios de mulheres alcançam uma redução global de 34% desde 2011, quando foram computados 146 crimes desse tipo, com a taxa saindo de 7,47 homicídios por 100 mil habitantes para 4,71.

Armas e drogas apreendidas – Os números apresentados pela Segurança Pública mostram que somente em 2016 foram apreendidas 3477 armas de fogo, sendo 1227 revólveres, 681 pistolas e 1350 espingardas, entre outros armamentos. Já o crescimento global na gestão foi de 60%, com 2179 retiradas de circulação em 2011 e um total de 18 mil armas apreendidas desde o início da gestão.

A repressão ao porte ilegal de armas refletiu na redução de assassinatos com uso de arma de fogo no Estado, que caíram de 1235 em 2015 para 1035 no ano passado (-16%). Em 2011, o número chegou a 1410 homicídios com uso desses armamentos.

Já em relação aos entorpecentes, as Forças de Segurança apreenderam um total de 1 tonelada e 239,7 quilos de drogas no ano passado, sendo 1 tonelada e 117,8 quilos de maconha, 85 quilos de crack, 36,8 quilos de cocaína. Em seis anos, as ações de enfrentamento ao tráfico de drogas realizadas pela polícia paraibana resultaram na retirada de 10,1 toneladas de entorpecentes das ruas.

Deixe Seu Comentário

Comentário